Acusado de fraude por Moro e Aras, Porteiro recua da citação do “seu Jair”

Estou com pena do porteiro que citou o presidente Jair Bolsonaro como quem autorizou a entrada no condomínio Vivendas da Barra de um dos assassinos de Marielle Franco e Anderson Gomes.

Ele foi exposto pela imprensa sem necessidade, mora em área de milícia e está sendo acusado por um ministro de estado e por um procurador geral de fraude.

Detalhe, pela anotação que fez na planilha da já famosa “casa 58 de seu Jair”, ato que foi antes do crime.

Agora, em depoimento em que é acusado de diversos delitos, disse que se enganou e agiu por pressão própria.

Pode ser verdade. No entanto, a pressão a que foi submetido e a pressa com que o ministro Sérgio Moro e o procurador geral Augusto Aras agiram contra a testemunha tornaram o cenário nebuloso.

Deixe um Comentário