Ao invés de fazer concurso, Bolsonaro quer chamar militares da reserva para trabalhar no INSS

O ministro da educação Abraham Weintraub e o presidente Jair Bolsonaro alegaram que os concursos públicos são porta de entrada para esquerdistas. No bolsonarismo chamar algo de esquerdismo é a senha para posterior ataque institucional.

Este modesto blogueiro alertou que viria contratação ao arrepio dos concursos. Aconteceu. Ao invés de fazer seleção como se deve, Bolsonaro quer usar militares da reserva para trabalhar no Instituto Nacional de Seguro Social. Além de burlar um sistema de recrutamento impessoal de funcionários habilitados, é uma forma de transferir recursos para os militares.

Deixe uma resposta