As maluquices das políticas identitárias

Os defensores de políticas identitárias, quando partem para uma universalização forçada, desconsiderando contextos, regras e situações, acabam por criar uma maluquice.

Há grupos de feministas boicotando feiras e palestras do Sebrae porque crianças estão proibidas.

Além de passar pano para uma essencialização federal sobre a responsabilidade da criança ser sempre da mãe, transformam uma regra de convivência em um espaço destinado para adultos num falso cavalo de batalha.

Por que tais acontecimentos não permitem criança? Vamos lá: sugiro duas opções. 1. o sebrae tem uma política deliberadamente machista que visa afastar a mulher dos seus eventos. Ou 2. crianças dão trabalho, mexem em tudo, choram e atrapalham os eventos.

Deixe um Comentário