Bolsonarismo mobiliza a bolha adversária em prol de sua agenda extremista

SOBRE COMO O BOLSONARISMO MOBILIZA A BOLHA ADVERSÁRIA EM PROL DE SUA AGENDA EXTREMISTA

O Celso Rocha de Barros e o Marcos Nobre, dois analistas políticos, chamaram atenção para o fato de que o bolsonarismo é um regime de mobilização permanente de suas bases em prol de uma agenda que mina o Estado de Direito.

A tática é sempre a mesma, que costuma ser desconsiderada pelos seus opositores porque enxergam nela um falatório de bobagens. Na prática, não é raro o bolsonarismo utilizar a bolha adversária para espalhar suas fumaças e gerar a polarização social que torna visível seu governo.

A polarização extrema cria a impressão de que valores estão ameaçados por quem não é “verdadeiramente brasileiro” e permite o governo agir para supostamente resgatá-los. Trata-se de estratégia racional de um projeto de poder de extrema-direita.

Por isso acredito que é relevante não entrar em debates fabricados sem grande importância. Não que eu não reprove a defesa do trabalho infantil, os ataques à imprensa e outras afirmações do presidente Jair Bolsonaro. Condeno.

O aspecto que levanto é o fato de que, nessa de combater o que Bolsonaro fala, terminamos sendo guiados constantemente pela sua agenda pueril. Ele acaba ditando os termos da disputa. Na prática também questões mais relevantes são empurradas sem nenhum tipo de escrutínio.

A lava jato chegou a segunda instância. O judiciário está em xeque. A Funai e o ministério do meio ambiente foram entregues para quem eles deveriam atuar para regular. As universidades seguem sendo atacadas em sua autonomia. Aqui no RN um importante debate ocorreu do ponto de vista orçamentário. A fumaça bolsonarista turva estes e outros temas.

É preciso controlar a própria produção de agenda do debate público. Este poder hoje se encontra com a base bolsonarista. Virar o jogo contra o bolsonarismo passa um pouco por aí.

Deixe uma resposta