Carteirada e lava jato

Carteirada e lava jato

SOBRE OS ACLAMADOS TÍTULOS ACADÊMICOS DE MORO E DALLAGNOL
Nunca, nunca os títulos do juiz Sergio Moro, que condenou Lula, e do chefe da Lava Jato, Deltan Dallagnol, foram tão publicizados. Procuradores, juízes e outros simpatizantes do revés sofrido pelo ex-presidente estão espalhando os Lattes de Moro e Dallagnol.

Beleza. Já entendi. Um fez um curso em Havard e o outro mestrado por lá. Sinal de esforço, é verdade. Isto, porém, não impediu que a descrição, tecida pelo Dallagnol em seu livro sobre os EUA, fosse de um paraíso ingênuo. Uma espécie de Disney do direito. Será que é assim mesmo? Com todo o debate sobre a super população carcerária americana?
Bem, já disse aqui que uma das bases da lava jato contra o sistema político é o da defesa imbecilizante de um bacharelismo rasteiro. Como se diplomas fossem garantidores da defesa de interesses imediatamente altruístas e universais. Levando em conta nossa história, talvez faça mais sentido pensar de modo inverso.
Outra coisa é falar sobre aprovação em concurso público. Sim, eles passaram. Palmas, mas e daí? Desde quando superar exames e seleções foi porta de entrada para o acesso à verdade e cidadania?
As pessoas, sejam elas doutoras ou sem qualquer instrução formal, têm sim o direito de questionarem qualquer ação do estado, inclusive o iluminado ramo da justiça.
E o judiciário deve, ao mesmo tempo também, prestar contas. Não pra se render a um senso comum ou pressão momentânea, mas para proporcionar o aprendizado cívico necessário que deve surgir desta legítima interação.
A gabolagem ancorada em títulos é sintoma da carência de argumentos. É preciso cuidado, pois no caso da justiça pode significar falta de provas também.

Deixe uma resposta