Com o fim da PEC paralela da previdência, que incluiria Estados e Municípios, governo terá de negociar mudanças na Assembleia

A inclusão de Estados e Municípios na reforma da previdência, que corria como proposta de emenda à constituição paralela no senado, ficou para 2020. Ou seja: para o dia de são nunca.

O governo do estado terá de fazer sua própria aqui no Rio Grande do Norte, negociando junto à Assembleia. Não será nada fácil, principalmente há um ano da eleição.

O governo deverá esperar a aprovação da reforma da previdência federal, para assim unificar as regras com as que acontecem no Instituto de Previdência do RN.

Deixe uma resposta