Cpmf foi válvula de escape

É super comum a demissão de alguém do Governo ocorrer algumas semanas ou até meses antes. Depois, para despiste sobre o real motivo, vem só a oficialização. Pelo que já foi publicado, foi o que ocorreu com o secretário da receita federal Marcos Cintra. Aproveitaram a Cpmf pra isso.

A alegação da Cpmf serve de subterfúgio apenas para, na verdade, amansar de vez outro ente de fiscalização.

Bolsonaro estava já inconformado com a investigação da receita contra seus familiares. O STF também pedia a cabeça de auditores que devassaram a vida de ministros sem autorização judicial.

O momento da “Cpmf”, que foi defendida pelo próprio Bolsonaro e pelo ministro da economia Paulo Guedes, serviu de válvula de escape.

Deixe uma resposta