Cristiane Brasil, a nomeação e o feminismo à brasileira

Cristiane Brasil, a nomeação e o feminismo à brasileira

Sou contra a não nomeação de Cristiane Brasil. A prerrogativa, gostemos ou não, é do presidente da república. Disse o mesmo quando impediram Lula de assumir a chefia da casa civil. A justiça se mete demais. Tem de recuar.

O dado é objetivo. Há uma legislação que diz quem pode ou não ser nomeado para ministro de Estado. Se ela não foi alcançada por ela, não há o que discutir. Porém, a conduta da justiça é resultado da bagunça institucional em que nos metemos.

O machismo contra ela paira nas publicações de hoje em todo o país: “festeira”, “namoradeira”, etc, são os enquadramentos. Convenhamos: são eufemismos para aquilo que os jornalistas não querem dizer mais diretamente. Qual é o problema gostar de sair e de se divertir? Não pode? Representa algum sinal desabonador? Mas o feminismo à brasileira, claro, acha que ela não está no grupo de mulheres que merece defesa.

Deixe uma resposta