Diante da ausência de Bolsonaro, governadores tentam tomar a dianteira da política nacional

O governo segue sem articulação clara junto aos partidos e tentando, através da concessão de emendas e cargos, negociar no varejo com os deputados.

Diante de uma certa paralisia, os governadores tomam a dianteira do processo, formando grupos conjuntos de pressão em torno de interesses comuns. Foi feito o do nordeste e, agora, o grupo do sul-sudeste.

Os governadores terão poder de pressão, óbvio. Mas no presidencialismo de coalizão o chefe do executivo tem muito poder e é difícil qualquer projeto caminhar sem sua participação.

Deixe uma resposta