E daí?

E daí?

Chamar Maduro de ditador pode fortalecer grupos políticos de direita, me falam. E daí? Ele deixará de ser um ditador por conta disto ou seu regime de exceção se justifica?

Já ocorreu um golpe de direita na Venezuela nos tempos de Chaves. É verdade. Mas e daí? Isto apaga ou justifica o regime de exceção de Maduro?

O passado venezuelano conheceu inclusão social. É verdade. Mas e daí? Liberdades políticas podem ser suprimidas, o caos econômico pode ser instalado e os críticos do governo violentados por conta disto?

Ah, mas aqui no Brasil Temer, um presidente atolado em corrupção, está contra Maduro. E daí? A ditadura de Maduro se torna nobre por esta oposição?

Ah, os tucanos são contrários ao regime de Maduro. E daí? Se assim se posicionam, ponto para eles.

Ah, os EUA querem a queda de Maduro. E daí? A morte de manifestantes passa a ter validade, então? Não só eles querem a queda, mas vários outros países. E ainda que nenhum quisesse, não deixaria de ser ditadura…

A esquerda brasileira, preocupada em polarizar com Temer e tucanos, endossou uma eleição (sic) em que o governo não tem como perder. E daí? Se assim procedeu, tergiversou diante de uma ditadura. Isto diz mais sobre quem apoia Maduro do que sobre o que acontece na Venezuela.

Deixe uma resposta