EDITORIAL – Demolição do Hotel Reis Magos é chance histórica para a afirmação da esquerda moderna no poder no RN

O prefeito de Natal, Alvaro Dias, afirmou hoje em entrevista que só aguarda a posição do governo do RN, para autorizar a demolição do Hotel Reis Magos. Todos os órgãos relacionados ao tema vêm negando a relevância histórica e arquitetônica do equipamento, um pleito do Ministério Público.

Ora, é uma oportunidade de ouro para a esquerda no poder afirmar de vez seu pragmatismo em prol do desenvolvimento contra uma visão ideológica e ultrapassada de mundo. O atual governo já implementou teto de gastos, melhorou seu sistema de incentivos fiscais para atração de empresas e caminha para a abertura de capital da Caern, caracterizando como é pedagógico administrar a máquina pública. O discurso oposicionista ficou alojado na época devida. A recusa do tombamento do Hotel Reis Magos seria mais uma demonstração nesse sentido positivo.

Carece de lógica, para um Estado cheio de dívidas como o nosso, empregar seu ralo dinheirinho, adquirindo e reformando um caro prédio de qualidade duvidosa. Vale deixar a dita iniciativa privada investir na região. Gerir os conflitos e desejos de uma sociedade significa estabelecer hierarquias diante de recursos escassos e demandas abundantes. Os potiguares carregam outras prioridades muito mais urgentes.

Não é hora de comprar. Pelo contrário. O Estado do RN precisa se desfazer de ativos, pois sequer tem a capacidade hoje de tomar conta dos seis mil imóveis que possui. Suas estatais dão prejuízos e apresentam condução ultrapassada. Já não estariam mais em funcionamento se enfrentassem competição de mercado.

Não cabe aqui caçar culpados. A política não constrói quando pautada pelo ressentimento e pelo revanchismo histórico. Um consenso foi formado. É imprescindível olhar para frente e erguer um RN melhor sobre escombros sem valor.

Deixe uma resposta