Erosão das instituições em curso: o bolsonarismo no poder em cinco pontos

Metas já estabelecidas conforme leitura das ações do bolsonarismo no poder:

1. Enfraquecer universidades, imprensa e cultura – cortando recursos, meios de financiamento e promovendo ataques ideológicos;

2. Captura do MP/Justica/PF via Dodge/Moro/Lava Jato – Bolsonaro já deixou claro que se serve do capital de Sérgio Moro para produzir uma blindagem contra entes de controle e que só vai nomear um procurador geral bem alinhado. Sérgio Moro, por sua vez, expõe a polícia federal como sua subordinada, vazando operações sigilosas e controlando suas atividades. O lavajatismo vira governismo com Bolsonaro e Moro no poder;

3. Erodir a regulação do meio ambiente/agricultura/Segurança. O desmatamento e a liberação de agrotóxicos explodiram. Ibama e Funai foram desautorizados a agir. No âmbito da segurança pública, a busca é pela licença sem freios para matar e não explicar depois;

4. Afirmar um executivo sem contrapeso. O judiciário segue sendo capturado via acordo, por exemplo, no caso da limitação da atuação do coaf. O legislativo é alvo de ataques sem eufemismos;

5. Nesse ambiente, sem deliberação e debate, com a esfera pública amordaçada por uma visão plebiscitária – a favor ou contra o Brasil -, o liberalismo (sic) de Paulo Guedes vira predação pretoriana.

Deixe uma resposta