Gambiarra

A proposta do ministro Gilmar Mendes foi corajosa, mas me pareceu uma grande gambiarra.

Ao invés de dizer sim ou não sobre o habeas corpus impetrado por Lula pela parcialidade do então juiz Sérgio Moro, ele queria soltar Lula até o julgamento ocorrer.

Sua tese não foi aceita e foi derrotada por 3 a 2. Veja a matéria abaixo.

Faltou coragem ao STF para declarar a suspeição de Sérgio Moro, pelos grampos ilegais contra os advogados de Lula, falas políticas, vazamentos ilegais, etc, e soltar o ex-presidente, julgando o mérito do HC.

O cálculo foi o de esperar até a conclusão do restante dos vazamentos do The Intercept das conversas nada republicanas entre Sérgio Moro e os procuradores da lava jato.

Segunda Turma do STF decide manter Lula preso enquanto não analisar suspeição de Moro

A Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu negar nesta terça-feira (25) liberdade ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e adiou a análise sobre um habeas corpus em que sua defesa questiona a suspeição do juiz Sergio Moro.

Por 3 votos a 2, os ministros rejeitaram uma proposta do ministro Gilmar Mendes para que Lula ficasse em liberdade até a decisão final sobre o habeas corpus.

O caso começou a ser julgado em dezembro pelo colegiado, mas foi interrompido antes de ser concluído. Na ocasião, os ministros Luiz Edson Fachin e Cármen Lúcia votaram contra o pedido para conceder liberdade a Lula, e Gilmar Mendes pediu vista (mais tempo para analisar o caso).

G1

Deixe uma resposta