Governo admite usar a Abin para vigiar debates ambientais da igreja católica

O general Augusto Heleno, do gabinete de segurança institucional, deu uma declaração grave neste final de semana ao Estadão. Segundo ele, o governo vem utilizando a agência brasileira de inteligência para acompanhar a pauta ambiental da igreja católica. O perigo estaria, conforme o general, na inclinação ideológica de esquerda do debate.

A abin não foi criada para monitorar debate de movimentos sociais ou religiosos. Não há qualquer afronta ao interesse nacional nisto e, portanto, um órgão governamental não poderia se meter.

Mais. Assim como a igreja tem ligações com a esquerda, evangélicos têm com a direita e não há nenhum problema em nenhum dos casos. O uso da abin para o fim exposto é autoritário.

O governo Bolsonaro vem produzindo pequenos mas não menos importantes processos de corrosão da institucionalidade democrática. O efeito cumulativo será perverso.

Deixe uma resposta