Jair Bolsonaro está cumprindo o que prometeu durante a campanha

E, ora, é o que justamente gera o caos até o presente momento.  Passada a lua de mel, que foi bem curta, o cenário se impôs. A promessa de Jair Bolsonaro de acabar com a política está inviabilizando não apenas a fina arte de maquiavel, como também irá avancar sobre a economia, caso o impasse continue. E não há sintoma de que ele irá passar.

Ele resiste em abandonar o discurso de campanha e relaciona, sem muita cerimônia, qualquer tentativa de diálogo com o congresso à corrupção. Perguntado sobre o assunto, enfatizou que não terminará, jogando dominó como Lula e Temer.

Para os que agora estão atônitos, um aviso: foi o que disse que iria fazer na campanha se fosse eleito. Era o perigo claro cantado em verso e prosa por não poucos analistas.

Se Dilma foi acusada, quando eleita para o segundo mandato, de estelionato eleitoral em 2015, ao propor um ajuste fiscal, Bolsonaro está sendo atacado por quem achou que seu papo antipolítico era apenas de mentirinha e poderia ser abandonado no caminho como num simples passe de mágica. Por quem achou que ele seria moderado pelo poder.

Estes já podem pedir matrícula no jardim da infância.

Deixe uma resposta