JBS: investigação contra Robinson e Fábio Faria deverá ser arquivada

JBS: investigação contra Robinson e Fábio Faria deverá ser arquivada

A ministra Rosa Weber autorizou esta semana a abertura de inquérito para investigar o governador Robinson Faria e o deputado federal Fabio Faria.

O pedido foi feito em junho de 2017 pelo procurador Rodrigo Janot. Porém, após as duas últimas revelações sobre o caso, a investigação tem tudo para ser arquivada.

RAZÕES

Primeiro, a investigação se baseia na delação de Ricardo Saud, que foi desmentido pela mulher de Joesley Batista, a apresentadora Ticiane Vilas Boas. Conforme a jornalista, nenhuma propina foi tratada em um jantar organizado por ela em que, de acordo com Saud, o acerto para repasse referente a eleição de 2014 “foi feito na mesa, na frente das mulheres”. Com base nesse desmentido, Fábio Faria pediu a invalidação dessa delação na justiça.

Ricardo Saud: desmentido pela mulher de Joesley e confessou em áudio que abusou das denúncias contra políticos para atrair Rodrigo Janot

O segundo aspecto é que, tanto Joesley Batista como Ricardo Saud, abusaram de citações, no áudio auto-incriminador que pode levar ao cancelamento dos benefícios da delação de ambos, sobre como atrair a Procuradoria Geral da República. Conforme os dois, o macete era “chamar todo mundo de bandido para atrair o Janot”. E assim agiram. Eles citaram nada menos do que 1800 políticos.

A versão dada pelos dois esfarelou. No caso do RN, a suposta contrapartida prometida, conforme o executivo da Jbs, sequer se concretizou. A Caern nunca foi privatizada. Este era o interesse do grupo.

O potiguar conversou com dois advogados experientes que assim raciocinaram: a nao ser que surja algo novo muito forte, o que não acorrerá porque o sigilo já foi aberto, a investigação, a exemplo de outras situações já existentes no caso, virará arquivo.

Deixe uma resposta