Lembram o que eu falei a respeito das demissões na Estácio?

DADOS DO CAGED MOSTRAM CRESCIMENTO DE CONTRATAÇÃO NO ÚLTIMO MÊS


O pensamento militante e desonesto (ingênuo ou maldoso) funciona assim: pega se um fato isolado e produz, a partir disso, uma falsa generalização voltada para embalar seu desejo e influenciar terceiros.

Foi assim quando a crise explodiu em 2015, com dados insofismáveis e militantes procuravam dizer que não existia crise pelo curioso critério (sic) de shoppings cheios.

Agora, a moda é dizer, sem nenhum dado acerca do mercado de trabalho, que a reforma trabalhista criou uma onda de demissões e precarizações. Sequer deram tempo para tanto. Ainda assim, utilizaram dois exemplos: demissões na Estácio e na Unp.

Mesmo eu tendo alertado que era preciso ver dados globais do mercado de trabalho e que tais demissões em universidades privadas são sazonais e até cresceram em face da diminuição dos alunos matriculados via fies, de pouco adiantou. Me esculacharam e até aproveitaram uma reclamação pública que fiz sobre o modo como a UNP se porta diante de seus visitantes, como se uma coisa tivesse a ver com a outra.

A militância que tenta se colocar do lado do bem, posicionando o encarado como oponente como alguém do mal – disseram que eu não ligava para os demitidos, como se eu mesmo já não tivesse passado pela mesma situação -, reduziu tudo a uma questão moral. Nas redes funciona assim: você pinta o outro como agente do mal e mesquinho, pois assim seus argumentos são deixados de lado e você passa a queimar a fonte.

Pois bem, dados do Caged, que não analisam uma única empresa e sim o funcionamento global do mercado, mostram, mais uma vez, o crescimento no número de empregos.

O que vocês, que querem construir uma realidade baseada em puro desejo, vão alegar agora?

Estou aguardando…

Deixe uma resposta