Maioria dos Microempreendedores Individuais do RN empreende em casa, revela pesquisa do Sebrae

Maioria dos Microempreendedores Individuais do RN empreende em casa, revela pesquisa do Sebrae

Disciplina para conciliar bem as atividades domésticas e a gestão do negócio. Essa é uma realidade para a maior parte dos Microempreendedores Individuais (MEI) do Rio Grande do Norte. Uma pesquisa realizada pelo Sebrae revelou que 48% dos empresários formalizados nessa categoria jurídica – cerca de 91 mil empresas – utiliza a residência como estabelecimento comercial. Os que têm um ponto comercial totalizam 33%. O perfil é semelhante em todo o Nordeste e restante do país, onde dois de cada cinco empreendedores têm a casa como local de trabalho.

A boa notícia do estudo é que esse número vem declinando, sinalizando uma maior profissionalização na prestação dos serviços. Segundo o levantamento, 9% dos MEIs potiguares desempenham a atividade na casa ou empresa do cliente – geralmente esse percentual está ligado aos profissionais do setor de serviços – e 10% são ambulantes. Os que atuam em feiras ou shopping popular chegam a 1%. A pesquisa consultou 10.328 pessoas formalizadas nessa figura jurídica, sendo 384 no Rio Grande do Norte, entre os dias 17 de fevereiro e 11 de abril deste ano. A margem de erro é de 1% para mais ou para menos.

Nacionalmente, manter a renda e ter independência financeira são os dois principais benefícios de ser dono do próprio negócio. De acordo com pesquisa realizada pelo Sebrae, 57% dos donos de pequenos negócios elencaram esses dois itens como vantagem. A possibilidade de conciliar trabalho com família e a realização de um sonho, também foram privilégios destacados pelos empreendedores ouvidos.

De acordo com o levantamento, os microempreendedores individuais (MEI) e os donos de microempresas são os que consideram a manutenção da renda como principal benefício. Já para os donos de pequenas empresas, a independência financeira vem em primeiro lugar.

“Cada vez mais é comprovada a tese de que muitas pessoas procuram no empreendedorismo uma nova forma de ganhar dinheiro. Abrir uma empresa tem ajudado trabalhadores a sustentarem suas famílias, permitindo também que passem mais tempo com elas”, afirma o presidente do Sebrae, Guilherme Afif Domingos. Ele ressalta que abrir uma empresa implica em alguns cuidados e dedicação. “O importante é o potencial empreendedor estar preparado para abrir um negócio. O Sebrae oferece vários serviços, como capacitações e consultorias para ajudar os empreendedores a se realizarem na escolha que fizeram”, complementa Afif.

A instituição conta com pontos de atendimentos em todos os estados brasileiros, e com um portal que ajuda o futuro empresário a se preparar para iniciar um negócio. Oferece ainda um Call Center (0800 570 0800), que faz atendimento gratuito. As soluções desenvolvidas pelo Sebrae atendem desde o empreendedor que pretende abrir seu primeiro negócio até pequenas empresas que já estão consolidadas e buscam um novo posicionamento no mercado. São oferecidos cursos, seminários, consultorias e assistência técnica para pequenos negócios de todos os setores.

Fonte: Agência Sebrae de Notícias

 

Deixe uma resposta