Menos médicos: a realidade se faz presente

Escrevi no blog e disse no programa do bg que esse preenchimento alardeado ia se esfacelar com não aparecimento e taxa de evasão elevados. Na análise nunca é bom confundir desejo com realidade.

Pois bem, ao contrário do que alardeia o ministério da Saúde inicialmente, menos de 10% dos médicos que preencheram formulários apareceram para ocupar as vagas deixadas pelos cubanos.

Em matéria da folha de hoje, há relatos de prefeitos dizendo que receberam ligações de médicos querendo negociar os horários ou os dias trabalhados, contrariando a proposta do programa, que é conceder expediente de 40 horas semanais.

Um médico ganha bem mais do que a bolsa de 11 mil dos mais médicos nos grandes centros. A questão é econômica e não ideológica.

Deixe uma resposta