Moro é premiado pelo seu trabalho e irá para o STF

Sérgio Moro condenou o principal nome para a disputa à presidência em um processo controvertido. Sua sentença sofreu muitas críticas de especialistas. Ele – a segunda instância também – passou por cima de prazos. Com a retirada de Lula da disputa, o caminho ficou aberto para o Bolsonaro.

Moro vazou grampo ilegal contra a presidente Dilma, ajudando a desgastá la em favor do impeachment.

Moro conversou sobre vir a ser ministro da justiça de Bolsonaro ainda durante a campanha de 2018, conforme os próprios apoiadores do presidente. O assunto foi amplamente divulgado pela imprensa. Nesse ínterim, a lava jato agia contra o partido adversário do seu agora chefe no pleito de 2018.

Moro alegou não ter tempo para julgar os casos da lava jato do PSDB do Paraná, com quem sua família já teve ligações de trabalho. Ainda assim, antes de entregar o processo, arrumou um espaço na agenda para invalidar o principal depoimento de uma testemunha contra o mesmo grupo político. Também não estava ocupado nas férias, em Portugal, para articular contra a saída de Lula da prisão.

Agora, ficamos sabendo que, nas suas conversas para deixar a magistratura e virar ministro, Bolsonaro estabeleceu o compromisso de indicar o dito cujo para o STF.

Deixe uma resposta