NA PARAÍBA É ASSIM: Presidente da ALPB vê com preocupação diminuição do duodécimo, mas diz que “cada um deve fazer sua parte”

Lá na tão sempre elogiada Paraíba é assim. Além da folha salarial se constituir como 100 milhões a menos por mês do que a daqui, ou seja, 1,2 bilhão a menos por ano; lá os poderes se comportam de outra maneira. Por isso, os salários estão em dia. Os orçamentos são relativamente semelhantes. Os poderes daqui seguem fazendo poupança na crise por uma legislação que não é seguida no resto do país: os poderes têm contas desvinculadas do tesouro estadual, guardando sobras orçamentárias.

Do Paraíba Online

O presidente da Assembleia Legislativa, deputado Gervásio  Maia (PSB), disse que vê com preocupação a diminuição no repasse do duodécimo aos Poderes prevista na Lei do Orçamento Anual para o exercício financeiro de 2018.

“É claro que preocupa e é por conta disso que nós, aqui na Assembleia Legislativa, por exemplo, estamos adotando diversas medidas para fazer com que se possa cumprir os compromissos da Casa rigorosamente em dia. Para o ano que vem, o orçamento prevê ainda mais queda, mas é preciso que cada um faça a sua parte e tente se ajustar dentro da realidade do nosso país”, avaliou.

Foto: Paraibaonline

Gervásio explicou ainda que a Paraíba não tem sentido muito a crise porque tem um governo responsável, zeloso e que tem feito uma administração com muita seriedade, enquanto que os Estados vizinhos e do Sul do país não estão bem como a Paraíba.

O deputado destacou ainda que a crise política ocasionou uma crise econômica muito profunda no país.

“A verdade é que o nosso país é muito forte para isso, mas eu espero que essa crise tenha um fim logo e que o nosso país possa voltar a se desenvolver. É nítido que estamos em uma paralisia muito grande”, disse.

O presidente criticou ainda a omissão de alguns políticos no Congresso Nacional em relação a tudo isso.

Segundo ele, se as coisas lá em cima não se resolvem, não tem como os Estados reagirem.

Por isso é preciso que se defendam mudanças em vários setores. “Infelizmente isso não tem acontecido”, completou.

Deixe uma resposta