05/19/2017
Pós-fatos: Michel Temer tenta inventar realidade paralela
Daniel Menezes Daniel Menezes

Pelas alegações governamentais, entramos na era do pós-fato. Michel Temer, em pronunciamento em cadeia nacional de rádio e tv ontem (18), tentou inventar realidade paralela.

Apesar de ter sido gravado em conversa com réu confesso em sua residência oficial, falando sobre compra de silêncio de preso e obstrução da justiça, ele enfatizou que não estava falando sobre compra de silêncio de preso nem muito menos obstrução da justiça.

E mais: se apresentou como vítima de uma conspiração, provavelmente fazendo referência indireta ao Ministério Público e poder Judiciário. Será? Na verdade, a pergunta é supérflua do ponto de vista político. Ele jamais poderia se expor, como presidente, a tal situação, nem muito menos empreender o sintomático bate-papo.

Esperando para ver se cola, o PSDB ainda não entregou os seus ministérios. Ora, os tucanos são o último sustentáculo do governo pinguela. 

O presidente não tem a menor condição de encaminhar reformas ou qualquer outra medida. É um cadáver político. Aposta no imponderável para permanecer. Aliás, ele também não tem outra alternativa, já que pode sair da presidência para a prisão.


  • Publicado por
  • Daniel Menezes



DEIXE UM COMENTÁRIO

Comentar com Facebook