O cabaré jurídico das delações

O cabaré jurídico das delações

Os governadores de Minas e Espírito Santo foram retirados das investigações da Lava Jato após o escrutínio do STJ. Motivo: o delator só demonstrou o gogó contra eles. Nada de provas.
Pense numa coisa que não entendo. Um cara faz uma delação, acusa Deus e o mundo, o acordo é homologado e ele vai pra casa. Os citados são malhados na imprensa.
No fim, a acusação não redunda em nada e tudo vai pra o arquivo. Ou seja, o citado foi envolvido injustamente e o delator, réu confesso, termina impune, mangando do tempo em sua casa.

PS. este uso absurdo da delação deveria ser melhor problematizado. Além de ser potencial gerador de crise – basta citar alguém representante de um poder para o céu ficar azul e a instituição politica manchada -, certamente não pode ser chamado de justiça…

Deixe uma resposta