O dia em que a imprensa estadual quase parou por uma reunião do governo do RN com o MST

Por que duas reles reuniões da governadora Fátima com o Movimento Sem Terra produziu inúmeras críticas na imprensa estadual?

Quantas vezes a governadora foi na federação dos empresários do RN ou se relacionou com outros grupos de interesse? Isto torna o governo exclusivo de empresários ou afeito a qualquer outra corporação? Óbvio que não.

As reuniões foram menos legítimas? Nunca. O diálogo entre empresários e governo é fundamental. Qualquer gestão deve ser mediadora e proporcionar espaço aos mais variados atores políticos da sociedade. O MST é uma organização com suas pautas e deve também ser ouvido. Qual é o problema? A pergunta foi retórica.

A questão é que, na verdade, uma reunião com MST serve para muita gente alimentar a maluquice, sem qualquer pé na realidade, de governo bolivariano e outras sandices. Tanta coisa importante para debater: papel da Petrobrás no RN, ajuste fiscal, reformas, crescimento. Mas é só nisso que sabem falar. É carência de substância? Não sei, mas é sinal dos tempos.

Deixe uma resposta