O grande fator positivo da eleição no RN de 2018

O GRANDE FATOR POSITIVO DA ELEIÇÃO NO RN DE 2018
 
Garibaldi Alves, José Agripino, Rogério Marinho, Beto Rosado e outros que votaram pelo impeachment e/ou nas reformas de Michel Temer foram punidos pelas urnas. Temer e suas reformas foram o principal vetor negativo no pleito do Rio Grande do Norte. Se a pessoa tem compromisso com os fatos, não há como dizer outra coisa.
 
Eu falei diversas vezes isso no blog, em colunas e em entrevistas (por economia de espaço colocarei um link abaixo apenas). Que o nome de Temer estava estampado na testa desses políticos, o que representaria problema na eleição.
 
Ora, isto caracteriza um fator positivo. Na cabeça de não poucos políticos do nosso RN, os eleitores não olham para as suas votações no congresso. Converso com eles e sei que o sentimento é este. Por isso votam sem consulta direta às bases eleitorais. Eles acreditam que, mesmo que façam posicionamentos impopulares, terão como reverter tal comporatmento durante o pleito com discurso plastificado de marqueteiro. Esta eleição mostrou que não é assim.
 
Para mim, foi o grande aprendizado evolutivo de 2018. Ficou claro que o mandato é da base eleitoral que coloca o representante ali. Se ele deseja tomar uma posição, que explique bem direitinho ao seu eleitorado. Do contrário, pode não renovar o mandato.
 
Outro dado importante, que também falava aqui no face semana passada, é que os analistas precisam parar de avaliar candidaturas apenas pela quantidade de dinheiro e prefeitos que elas têm. Postulantes ricos e cheios de apoios se complicaram em 2018. O tempo dos currais não passa de uma caricatura.
 
PS. Sou favorável a algumas das reformas de Temer. Só que era evidente que aprovar mudanças tão drásticas em poucos meses, sem debater com o eleitorado, era uma forma não democrática de implementar alterações constitucionais. O resultado veio rápido.

Deixe uma resposta