O mito do “republicanismo” que o PT caiu

Esse negócio de indicação republicana foi uma das maiores furadas feitas pelo PT quando foi governo. É um discurso engana trouxa, exercitado por quem nunca colocou em prática quando foi poder, em que o PT caiu.

As indicações de Roberto Barroso e Luís Fux são um bom exemplo. Barroso tem uma visão antipolítica e acha que o judiciário deve se meter em tudo. Fux é casuístico, para não falar nada mais forte. O PT nunca representou tais linhas e não foi eleito pelas visões de mundo que embalam o Barroso e o Fux. O encaminhamento dos nomes deles foi para gerar uma satisfação por quem prega uma moral que não segue.

A indicação é feita, vale lembrar, pelo presidente porque ele é representante da soberania popular. Então, o mandatário tem de indicar alguém alinhado ideologicamente. Se o governo eleito é de esquerda, o juiz deverá ter posições de esquerda. Nos EUA é assim. Republicanos indicam juízes conservadores e democratas magistrados adeptos do liberalismo (lá, ser liberal é ser de esquerda). Claro, eles devem ser tecnicamente preparados.

Duvido que Bolsonaro indique de forma “republicana”, nesse viés que eu estou condenando. Ele colocará no STF, assim que tiver oportunidade, alguém ideologicamente alinhado. E deve ser assim.

O PT caiu nesse conto de apresentar uma resposta contra a falsa questão do “aparelhamento” do Estado, enquanto Collor indicou Marco Aurélio e FHC alojou Gilmar Mendes no STF. Que sirva de aprendizado.

Deixe uma resposta