O modo como Bolsonaro trata os próprios aliados é comportamento exemplar da antipolítica e do autoritarismo

O presidente foi gravado por aliados e adversários e o áudio dele, falando em cargos, emendas e recursos, vazou para a imprensa.

O deputado Francischini (PSL), também gravado em reunião, disse que Bolsonaro nunca deu nada para eles e que só procura o PSL quando precisa.

O delegado Waldir (PSL), que também teve a voz capturada por terceiros, alegou que tem áudio para implodir o presidente.

Na “nova política”, a palavra empenhada nada vale. E a trairagem é regra. Como é possível construir algo nesse clilma em que não é possível sequer participar de uma reunião?

Independentemente do lado, é legal ver políticos que cumprem acordos. A palavra empenhada é um ativo da política. Claro, às vezes, o falado no passado é desfeito pelo presente. Mas a regra é cumprir.

Isso também assusta em Bolsonaro: o modo como ele trata os próprios aliados. O comportamento é exemplar da antipolítica e de gente autoritária.

Deixe um Comentário