O STF corrigiu furo nas delações da Lava Jato

O direito só se consagra com procedimentos equânimes e justos. Existia um furo no caso das delações da lava jato e o Supremo Tribunal Federal tratou de corrigir.
Vamos raciocinar sem emoção, algo difícil nos últimos anos. Uma pessoa lhe acusa de algum crime. Do ponto de vista judicial, você deve ser o último a se manifestar. O seu direito ao contraditório é sagrado. E ele fica prejudicado se quem acusa fala por último. Trata-se de algo lógico e racional.
Foi o que o Supremo Tribunal Federal disse diante das situações em que os delatores apresentaram, por último, suas alegações finais contra terceiros.
Não precisa ser advogado para perceber que, se um acusado faz sua defesa primeiro, sem saber das alegações de quem o acusa, pode ter seu direito cerceado. Como alguém irá contestar uma acusação, se não sabe ainda o que será dito?
O fato é que, desde o impeachment, as pessoas querem a lei para os seus amigos e o autoritarismo contra aqueles encarados como inimigos. É o verdadeiro problema de fundo.

Deixe uma resposta