Haddad atacado e laranjas esquecidos: o timming das denúncias nas campanhas eleitorais

O Ministério Público entrou com denúncia contra o então candidato à presidência Fernando Haddad. Acusação: ele favoreceu empresas enquanto foi prefeito de São Paulo.

Enquanto isso, o então candidato ao senado Flávio Bolsonaro demitia Fabrício Queiroz do seu gabinete em agosto.

Passada a eleição, o ataque contra Haddad foi arquivado pela carência de razoabilidade.

E hoje sabemos o porquê do Fabrício de ter sido exonerado em plena campanha sem nenhuma denúncia de seu ninguém. Ele, provavelmente, foi avisado.

O cenário da eleição não seria alterado. Mas e se tivesse acontecido o inverso? Haddad não denunciado e o escândalo dos laranjas de Bolsonaro estourado durante o pleito?

Deixe uma resposta