Pelo direito de ser enganado

Eu quero ser enganado. Quero acreditar que o supremo tribunal federal, ao deliberar que Bolsonaro não poderia desfazer as ações de isolamento promovidas pelos estados e municípios, retirou dele todas as responsabilidades diante de uma pandemia. Não faz nenhum sentido, mas deste modo eu acharei que o nosso presidente, dito patriota, não foi negligente ao manter as fronteiras nacionais escancaradas para o covid-19, agiu certo ao não ter plano de atuação contra o coronavírus, entre outras (in) ações.

Eu quero ser enganado e nutrir toda fé de que a cloroquina cura covid-19. O remédio já foi abandonado no mundo para tal objetivo, após dezenas de pesquisas demonstrarem que ele atrapalha o processo de recuperação contra a doença. No Brasil, em que ele é largamente empregado, não há qualquer evidência de que a cloroquina tenha diminuído a taxa de letalidade. Pelo contrário. Mas quem sabe eu perderei de vez o medo de adoecer? Então, cloroquina funciona, Bolsonaro tem razão e a OMS é comunista. O mesmo vale para ozonioterapia e vermífugo.

Eu quero ser enganado e contra todo o planeta falar com convicção de que o coronavírus tem pernas e caminha até a casa de quem fez e faz isolamento social. Ora, vírus só “anda” através de vetores. Só que eu quero gritar ou escrever em caixa alta nas minhas redes de maneira bem boçal: o Osmar Terra, o que disse a Bolsonaro que só teríamos 800 mortes por covid-19 no Brasil, tem razão! Deste modo, minha consciência para aquela vez que eu furei o isolamento e fiz um churrasco com a galera ficará tranquila.

Eu quero ser enganado por aquela corrente que mostra que os caixões dos mortos por covid-19, na verdade, estão cheios de pedras. Pense, como seria bom saber que há alguém malévolo por trás de tudo e que não passa de encenação. A probabilidade é zero, pois teríamos aí um complô entre justiça, polícia, ministério público, estados e municípios, imprensa, etc, impossível de ser organizado. E, ainda que fosse possível, para quê? Porém, ora, seria ótimo ir dormir convencido de que tudo é uma ilusão arquitetada pelos globalistas defensores dos chineses.

E se algum infectado existir eu quero ser enganado e perceber que, na verdade, o que importa acompanhar é o número de curados. Que problema tem em desconsiderar que, para os curados existirem, eles precisaram se contaminar antes? E se tivéssemos evitado o vírus, com os dois meses de folga que tivemos, não contaríamos nem mortos e muito menos recuperados? Saber também que já há estudos que mostram quantos se curam (99%) e quantos morrem (1%) ao contrairem coronavírus não me interessa. Quero ter o direito de comemorar o que poderia ser evitado e esconder o que demonstra o resultado de todo o descaso. Aliás, que descaso?

Eu quero ser enganado e só consumir informação que chega até o meu smartphone sem fonte, sem eu saber a razão de quem produziu aquele texto e que sempre contenha conteúdo alarmista e inverossímil do tipo: URGENTE! AMEAÇA NACIONAL! Ou SUA VIDA DEPENDE DISTO! Seria mais sensato conhecer o autor, procurar por ponderação; mas, poxa, ler um monte de jornal, acessar fontes oficiais e estudos trabalhosos é cansativo e, pior, eu daria moral para jornalixo que quer sexualizar nossas crianças com mamadeiras de piroca. Melhor a fazer é esperar a corrente embaladinha chegar e eu me amparar nela para dizer quem é do bem e do mal, em toda a complexidade de um desenho animado do He-man.

Eu quero ser enganado pelo Youtuber que sabe de tudo e sempre faz eu me sentir especial, como se, ao ouvir as platitudes que ele distribui, às vezes de forma bem remunerada por mim mesmo, eu farei parte de um super grupo de seres pensantes. Eles nunca acertam, mas meu ressentimento foi aplacado. Só que eu quero ser otimista, viver através de fórmulas simples, ainda que não funcionem. Ou melhor, só sirvam para eu me situar em meu mudinho. Afinal, esses cientistas que aparecem por aí são muito pessimistas: eles falam de números, cobram evidências para fundamentar ações e relações de causa e efeito.

Sim, eu quero ser enganado e tocar minha vida em realidade paralela. Afinal, eu acho que a minha ignorância é algo especial e o planeta ficará melhor se existirem outros como eu e a gente possa espalhar todas as nossas certezas em paz. Respeite o meu direito.

A nossa liberdade está ameaçada! Os comunistas estão destruindo a família! Patriotas admiradores dos EUA, uni-vos!

Deixe uma resposta