Sem Proedi, todos perderão

SEM PROEDI, TODOS PERDERÃO O programa de apoio ao desenvolvimento industrial foi substituído pelo programa de estímulo ao desenvolvimento industrial. O Proadi acontecia assim: o RN dava dinheiro às empresas, para que elas devolvessem na forma de ICMS. Deste modo, o governo acabava doando também recursos para as prefeituras, já que parte da verba devolvida pela empresa atraida na forma de ICMS era mordida pelas prefeituras. Duas eram as consequências práticas: oneração das empresas pela operação que a obrigava a tirar parte dos recursos do bolso e o governo do RN, na prática, estava canalizando recursos estaduais para os municípios. É o que está em jogo. O RN perdeu mais de 20 mil empregos diretos porque os estados vizinhos praticam o que é feito hoje via Proedi. A outra questão é que as prefeituras querem que o Estado dê dinheiro a elas, uma forma dos dois morrerem abraçados na praia. Se voltarmos ao Proadi, continuaremos perdendo empregos. A guerra fiscal é uma realidade. E as prefeituras receberão recursos do governo que não deveriam, mas só no curto prazo. Com a saída dos investimentos para outros estados, caso voltemos ao Proadi, os Municípios não terão mais o que ganhar. A Guararapes já disse que não fica por aqui se o Proedi for sustado. O Proedi, pelo bem da economia do RN, precisa ser mantido. É uma forma de conviver com a concorrência da Paraíba e Pernambuco em pé de igualdade. Eles já desoneraram tudo por lá e não fazem essa operação maluca de doar dinheiro pra depois receber de volta. As prefeituras, por sua vez, olham para o curto prazo, pensando em verbas imediatas. Mas devem chegar a um consenso com o governo, ao invés de lutarem pelo cancelamento do programa. Do contrário, perderão no médio e longo período em face do desaquecimento da economia. Não é possível que os deputados estaduais, que recusaram todas as reformas fiscais apresentadas por Robinson, agora atuem mais um vez em prol de interesses particularistas. Se a reforma previdenciária tivesse sido aprovada já em Robinson, nós estaríamos melhor. Jogar contra o Proedi e manter o estado de coisas que nos trouxe até aqui. Depois de nada adiantará ficar falando em reformas se, quando elas aparecem, os ditos cujos agem contra elas.

Deixe um Comentário