Sobre as consequências concretas dos cortes orçamentários nas UFs e IFs

SOBRE AS CONSEQUÊNCIAS CONCRETAS DOS CORTES ORÇAMENTÁRIOS NAS UFs E IFs

Quem me acompanha por aqui, sabe: sou a favor da reforma trabalhista, da previdência, pec do teto e defendo ajuste fiscal duro estadual. Sou liberal na economia e nos costumes. Apesar de ter lido quase tudo traduzido do Marx e do Engels, não sou marxista.

Tais opiniões, junto com tantas outras, rendem a ideia entre meus amigos da UFRN, que sou de direita.

Pois bem, os cortes orçamentários nas UFs e nos IFs ameaçam os salários dos temporários (pessoal da limpeza, do apoio técnico e os professores substitutos). A depender da necessidade do departamento que faço parte, tenho contrato até meados do ano que vem (2020).

Só que, com os cortes, é possível que a UFRN fique sem condições de pagar o meu salário e de tantos outros. O profissional da limpeza, o técnico de informática e eu, estes são alguns dos alardeados “esquerdistas”, rsrsrs, os primeiros retirados da universidade com o contingenciamento orçamentário.

Em resumo, é preciso que quem apóia os cortes orçamentários nas universidades compreenda que:

1. A universidade ficará suja e insalubre;

2.Disciplinas ficarão sem professores e os alunos, filhos de todos, não poderão se formar;

3. Laboratórios ficarão sem apoio técnico, atrapalhando, além das aulas práticas, a produção, por exemplo, de remédios a baixo custo para população.

É o que você quer?

PS. Você está insatisfeito com a universidade porque acha que só há lá esquerdista, gente nua e “balbúrdia”. É um bom momento para saber se isso é verdade.

Sim, você vai encontrar um punhado de casos como esses pela internet. Mas cabe perguntar se eles representam a rotina da instituição.

E, por fim, no que tudo isso tem a ver com cortar orçamento e impedir a efetivação das atividades acadêmicas?

Deixe uma resposta