Temer fala em ‘grande armação’ de ‘meliantes’ sobre novos áudios da JBS

Do globo

O presidente Michel Temer divulgou uma nota, nesta sexta-feira, para responder aos novos áudios do empresário Joesley Batista, dono da JBS, recuperados pela Polícia Federal e obtidos pela revista Veja. No documento, o presidente afirma que as acusações feitas pelos delatores contra ele são uma “grande armação” de “meliantes” que, de maneira “sórdida e torpe”, tentam desestabilizar o seu governo. O presidente também acusa membros do Ministério Público Federal (MPF) de atuarem como “integrantes da santa inquisição”.

“A cada nova revelação das gravações acidentais dos delatores da JBS, demonstra-se cabalmente a grande armação urdida desde 17 de maio contra o presidente Michel Temer. De forma sórdida e torpe, um grupo de meliantes aliou-se a autoridades federais para atacar a honradez e dignidade pessoal do presidente, instabilizar o governo e tentar paralisar o processo de recuperação da economia do país”, ataca o presidente.

Na nota, Temer cita trechos dos áudios recuperados pela revista para questionar a credibilidade dos delatores da JBS – além de Joesley, também de Ricardo Saud – e reitera ter sido alvo de “conspiração”. Uma das falas de Saud, segundo o presidente, deixa claro que integrantes do MPF “ficaram decepcionados” com o conteúdo da gravação existente, na qual Saud conversaria com a advogada Fernanda Tórtima, que participou do acordo de delação premiada de executivos da JBS.

“Agora, descobre-se que integrantes do Ministério Público Federal ficaram decepcionados com a gravação que usaram para embasar a primeira denúncia contra o presidente. ‘Eu acho, Fernanda, que precisam construir melhor a história do Temer. Não ficou muito claro. Eu acho que quando ouviram o Temer não gostaram muito. Tinham uma expectativa maior’”, cita a nota.

O presidente também voltou a atacar diretamente o ex-procurador-geral da República, Rodrigo Janot, e diz que os próprios delatores revelam, nas conversas, as “ambições de comandar o país” que teria Janot, responsável por denunciar Temer duas vezes. No documento, o presidente pede que sejam investigados os fatos presentes nos novos áudios e que os responsáveis sejam punidos.

Deixe uma resposta