O método: Weintraub usa de um senso comum para atacar universidades e não enfrentar os problemas de sua pasta

Há um senso comum que viceja na sociedade: as universidades são centros de usuários de drogas. Por mais que se fale e se mostre o contrário, há quem sempre irá acreditar em quem reforce esse ponto de vista.

O senso comum está alicerçado no debate mais franco, crítico e aberto que o assunto recebe intramuros de tais instituições, o que cria a (falsa) impressão de que há mais liberdade para o uso e até comercialização.

O Ministro da educação Abraham Weintraub se vale disso para controlar a agenda sobre educação no Brasil. Em audiência na câmara federal, ele voltou a dizer que as universidades são centros de drogas.

E a discussão sobre o MEC, suas políticas e ações? Ele é incapaz de falar uma linha a respeito. Ou seja, a bizarrice tem método e objetivo: primeiro, atacar os direitos e liberdades que tem nas universidades privilegiados espaços de fomento e, por fim, levantar muita fumaça para que a discussão sobre a efetividade do governo fique secundarizada. Com as universidades na defensiva, medidas autoritárias governamentais ganham livre percurso para vôo.

Deixe uma resposta