A correção de Alexandre Motta

Quem trabalha e analisa a política presta atenção num detalhe que, às vezes, passa distante dos olhares do grande público: a forma como os agentes se comportam diante dos acordos firmados.

O mestre da arte do poder já dizia que pactos foram feitos para serem quebrados. Ora, o fioretino alertava para o fato de que esta é sempre uma possibilidade. Porém, a palavra empenhada é um ativo importante e, diante de pessoas que falam uma coisa aqui outra acolá, não cumprem o prometido, se desfazem dos apoiadores de primeira hora na primeira oportunidade, é legal presenciar quem age com correção.

Num mundo cheio de oportunistas e mal agradecidos, cabe aprender algo. Palavra só se tem uma e a reciprocidade deve ser imperativo. O reconhecimento pelos pares pela conduta virá por consequência.

Daí este modesto blogueiro ter gostado de ver o que o pré-candidato a prefeito de Natal, Alexandre Motta, fez no fim de semana. Ele disputou a vaga para ser candidato do PT contra Jean Paul Prates, perdeu e, logo em seguida, já postou foto de apoio ao agora seu postulante. Poderia ter saído magoado. Poderia aventar razõespara tanto. Mas não. O gesto foi de grandeza e de reafirmação do pacto partidário.

Deixe um Comentário