A gambiarra eleitoral do Auxílio Brasil realiza os ataques contra o Bolsa Família; bolsonaristas em silêncio

O Auxílio Brasil é a realização dos ataques feitos ao Bolsa Família e as bochechas dos bolsonaristas nem ficam coradas.

Vai perder a eleição? Sim. Então é preciso criar um programa nas carreiras e sem nenhum debate e estudos, com duração praticamente até o dia da votação. Não há qualquer previsão e orçamento para o funcionamento do Auxílio em 2023, ano posterior ao pleito presidencial. Pura gambiarra.

Lembra, caro leitor, daqueles ataques ao bolsa família de que ele dava o peixe, mas não ensinava a pescar? Pura lorota seletiva. O Auxílio Brasil não cobrará mais frequência escolar dos filhos das famílias beneficiárias, não haverá mais acompanhamento vinculado da saúde nutricional e vacinal e, além disso, toda a rede assistencial será desmobilizada. Não temos um novo Bolsa Família, mas outro programa – dinheiro mensal até o dia da eleição e tchau.

E, vale enfatizar, tudo feito sem projeção orçamentária. Há recursos para manter a prudência fiscal? Sim. Só que isto significaria acabar com os 30 bilhões do orçamento secreto distribuído hoje sem qualquer controle aos parlamentares, o que tem permitido blindar o presidente de seus problemas de gestão e de possível envolvimento em ações que gerariam responsabilização política seguida de impeachment.

O orçamento secreto é uma festa que faz o dito mensalão parecer brincadeira de criança. São destinados recursos aos parlamentares, sem controle de aplicação e eles podem indicar, inclusive, os fornecedores que irão entregar os produtos e fazer as obras selecionadas por eles. Há casos de parlamentares indicando a construtora do parente ou a loja de trator de alguém conhecido. Os valores já são sabidamente superfaturados. Não é este blogueiro quem diz, mas a controladoria geral da união vinculada ao governo.

Há uma concepção de povo e de estado em jogo. No Bolsa Família busca-se a autonomia e a habilitação em favor da cidadania. No outro, o pobre é enxergado como um fardo eleitoral a se resolver. A história é um dos fundamentos da verdade e a reação demonstra a que veio, o que pensa do outro e por quem luta.

Deixe um Comentário