A vitória de Zenaide em 2018 foi o resultado de uma das estratégias mais espetaculares da história eleitoral do RN

Conversava com um interlocutor a respeito de como a vitória da hoje senadora Zenaide Maia foi algo espetacular em termos da história eleitoral do RN. Vou contar aqui a razão.

Então eleita deputada federal, a médica Zenaide faz parte da base da presidente Dilma Rousseff. Tratava se ainda de uma parlamentar em primeiro mandato e que tinha como base a cidade de São Gonçalo do Amarante, onde o médico Jaime Calado, companheiro de Zenaide, foi prefeito.

Já em 2016 há um processo de aproximação entre o grupo político constituído em São Gonçalo e o PT, através da candidatura de Paulinho como prefeito e Eraldo de vice. Essa parceria, vitoriosa, se fortalecerá em 2018.

A grande sacada de Zenaide foi perceber o vácuo na oposição contra o impeachment de Dilma Rousseff e o governo Michel Temer no RN. Enquanto os senadores José Agripino e Garibaldi Alves foram aliados de primeira hora de Temer e de suas reformas extremamente impopulares, se confiando na estrutura federal para garantir as suas renovações no poder, Zenaide elevou o tom, as críticas e ficou do lado da insatisfação popular.

A aproximação com o PT era motivo de chacota. Afinal, em quase todas as mesas de avaliação do RN ouvia-se a análise míope de que o partido dos trabalhadores, depois da lava jato e da saída da presidência, estava morto.

O seu nome começa a ser ventilado para o senado no início de 2018 e as avaliações eram de ceticismo. Afinal, iria enfrentar Garibaldi Alves, Geraldo Melo com a estrutura do governo estadual e Styvenson, que vinha com toda aquela coisa de nova política e uma propaganda positiva espontânea como o não político incorruptível da lei seca.

Fiz diversas pesquisas durante todo o ano de 2018 e nunca vi Zenaide fora da vitória. Era primeira colocada sempre e, depois que Styvenson entrou na disputa, ela ficou na segunda posição (o pleito de 2018 tinha duas vagas para casa da representação da federação). No entanto, todos os demais levantamentos davam ela em terceiro ou quarto lugar, inclusive também do Ibope.

Não é comum no RN, em que as elites políticas tentam fazer acordos até que todo mundo vá para a campanha sem riscos, a ação arrojada tomada por Zenaide Maia, ainda mais em primeiro mandato como deputada federal. Bater de frente com grupos historicamente hegemônicos tem consequências.

Foi uma guerra. A maior parte da mídia estava com Garibaldi Alves e/ou Geraldo Melo. Zenaide sempre era esquecida, alvo de diminuições e/ou ataques. A diferença de estrutura de campanha era muito grande também.

Abertas as urnas, Fátima larga na frente no primeiro turno (ganha no segundo). E Zenaide Maia se elegeu para o senado, derrotando dois pesos pesados da política potiguar. Não foi pouca coisa e os estudos sobre a política norteriograndense ainda farão justiça ao que ocorreu em 2018 pelas terras de poti.

Deixe um Comentário