Alunos do jardim da infância

Logo quando chegou, o presidente Jair Bolsonaro:

1. desmanchou o Conselho de Atividades Financeira – COAF, trocou diretores técnicos por nomeados políticos e o retirou do ministério da justiça;

2. trocou superintendentes da receita federal;

3. nomeou um procurador geral da república fora da lista tríplice do ministério público, que atua praticamente como seu advogado pessoal;

4. Por fim, colocará um padrinho de casamento de seu filho no ministério da justiça e um amigo de farra do outro na diretoria da polícia federal. É o histórico.

Acredita no papo anticorrupção bolsonarista quem ainda cursa o jardim da infância. E propaga essa lorota quem usa de tal bandeira pra embalar outros interesses.

Amansar os órgãos de controle é política de governo. E, ainda assim, a família Bolsonaro segue enrolada com rachadinha, caixa 2, milícias e gabinete do ódio adubado financeiramente sabe-se lá com que recurso.

Deixe um Comentário