Álvaro Dias está fora das eleições 2022 e admite dialogar com Fátima: “não vou renunciar ao mandato de prefeito de Natal”

Do Blog do Barreto – Durante chegada ao evento da FIERN que discutia o Plano Diretor da Capital, o prefeito Álvaro Dias (PSDB) pôs uma pedra nas especulações de que candidato ao Governo do RN em 2022.

“Nunca admiti candidatura ao governo do Estado. Vou concluir o meu mandato na íntegra, tirar o mandato de prefeito integralmente. Não pretendo, não penso, não desejo e não vou renunciar ao mandato de prefeito de Natal”, disse.

Sobre futuros apoios ele alegou que ainda vai aguardar a definição das chapas no ano que vem e não descartou aliança com a governadora Fátima Bezerra (PT). “Não tenho definição com relação a nada no momento, nem com relação à candidatura a governador, nem existe uma posição política da nossa parte. Nós só vamos tomar qualquer decisão neste sentido, quando houver alguma configuração definitiva no quadro e nas composições eleitorais no Rio Grande do Norte. No momento oportuno, e isto se dará depois das convenções partidárias, falaremos sobre este assunto”, complementou.

O tucano disse ter como único compromisso lançar o filho Adjuto Dias para deputado estadual. “Não tenho definição com relação a candidatura a governador, a senador, a presidente, a nada. Eu só tenho uma definição até agora com relação à política, porque é uma definição antiga de Adjuto ingressar na vida pública, e, esse compromisso eu tenho com ele, de ajudá-lo a conquistar uma cadeira na Assembleia Legislativa, mas nenhuma decisão com relação a posto político que venha a ser disputado nas próximas eleições”, concluiu.

Nota do Blog: sempre se metendo em polêmicas desnecessárias e fadadas ao insucesso como a guerra de decretos na pandemia e o bate-chapa com Ezequiel Ferreira de Souza (PSDB) nas prévias do PSDB, Álvaro Dias foi se inviabilizando para o Governo. Não por acaso seus números ficaram estagnados nas pesquisas, sempre na casa dos 15%, durante todo o segundo semestre. Além disso, ele precisaria se entender com o desafeto Carlos Eduardo Alves (PDT) porque teria que passar a Prefeitura do Natal para uma afilhada política do pedetista, no caso a vice-prefeita Aila Ramalho.

Com informações da Tribuna do Norte e Agora RN.

Deixe um Comentário