Ângela Paiva, reitora da UFRN: com os cortes, a universidade só funciona até setembro; serão demitidos 1545 servidores contratados

Dos 116 milhões, o MEC cortou da UFRN 60 milhões.

Segundo a reitora da UFRN Ângela Paiva, em declarações dadas à imprensa (portal G1), isto inviabilizará a contratação de empresas e serviços terceirizados, continuidade de obras e até a aquisição de livros.

Serão demitidos 1545 servidores diretos contratados. Quem tem contra com a UFRN já está sendo avisado, o que deverá elevar o número.

Deixe um Comentário