Antes de perguntar sobre carnaval, é preciso ponderar a respeito de critérios

Fala-se muito sobre se deve acontecer ou não o Carnaval em decorrência da nova variante Omicron da Covid. Algumas cidades já até cancelaram os festejos.

Penso, aqui no meu cantinho, que a questão deveria ser anterior. Não é o problema de se posicionar a favor ou contrário aos festejos do rei momo. Defender a abertura ou fechamento de qualquer área. O ponto é: quais os critérios levados em consideração e o que queremos gerar/manter enquanto cenário?

Ora, está tudo funcionando normalmente. Festas privadas com milhares de pessoas ocorrem todos os fins de semana. Tivemos Carnatal e apresentações da árvore de Mirassol em Natal sempre lotadas.

Sem indicadores objetivos de avaliação impera a lei do mais forte, de quem tem maior capacidade de influenciar o poder e a opinião pública. E a ciência é a última a ser levada em consideração.

Espremido por interesses, os poderes públicos atendem aos que não tem como negar e fecham os acontecimentos, festas, eventos daqueles que têm menores meios de pressão. Foi o que ocorreu na cidade – os pobres em casa sem festa de réveillon e quem tinha dinheiro nos hotéis da via costeira. Ora, isto é seletividade, nada tem relação com epidemiologia.

Deixe um Comentário