Anúncio de Doria sobre vacinação em janeiro foi estratégia para blindar coronavac contra politização já manifestada pela anvisa de Bolsonaro

O governador de São Paulo, João Doria, anunciou o início da vacinação em São Paulo em 25 de janeiro.

A coronavac, que foi trazida para o Brasil pelo estado de São Paulo, em parceria com o instituto Butantan, só demonstrará os resultados da fase 3 no dia 15 de dezembro.

Doria antecipa o anúncio em face da politização do assunto pelo presidente Jair Bolsonaro.

Não faz muito tempo que a Anvisa tentou impedir o andamento dos testes da coronavac, alegando que um voluntário da vacina teria apresentado efeito adverso. Depois do escrutínio, soube-se que a pessoa teria se suicidado e o evento nada tinha relação com o imunizante.

A ação de Doria foi para blindar a vacina contra possível nova interferência política de Bolsonaro, que, conforme a imprensa hoje noticiou, trocou toda a diretoria da anvisa por militares alinhados ao seu governo e sem o menor conhecimento técnico sobre o assunto.

Sim, é óbvio que a vacina precisa de aprovação. Mas se os atores não se moverem contra a politização já manifestada pelo governo federal, Bolsonaro irá agir contra toda atitude que denuncie, ainda que indiretamente, sua incompetência para resolver mais este problema concreto.

Deixe um Comentário