Ao produzir mais liberdade de ação para estados e tornar obrigatória a vacinação, STF fez o que Bolsonaro de fato queria

O supremo tribunal federal fez o que de fato o presidente Jair Bolsonaro queria. Ele aprovou que estados e municípios podem importar vacina caso o plano de vacinação não seja executado e/ou se a Anvisa não avaliar o pedido emergencial de uso de um imunizante em até três dias, conforme lei aprovada no início da Pandemia.

Além disso, Dez ministros foram favoráveis a obrigatoriedade da vacinação, que poderá ser determinada pelo governo federal, estados ou municípios. As penalidades a quem não cumprir a obrigação deverão ser definidas em lei.

Trata-se de tudo que o presidente Jair Bolsonaro queria. Com a ação, gerada pela sua inércia, ele jogará na ambiguidade. Para os seus antivacinas, dirá que está dando vacina forçado pelo STF, pelo “sistema”. Para os demais, dirá que está entregando o imunizante.

Se qualquer der errado, como provavelmente dará, já que o governo ficará para último da fila no início da imunização da população, culpará o STF, estados e municípios, assim como fez pela trapalhada mortal no combate à covid.

Deixe um Comentário