Após ação inócua do STF, Bolsonaro nomeia diretor da PF e troca superintendência da instituição do RJ, sonho antigo da família

De nada adiantou o supremo tribunal federal impedir a nomeação de Alexandre Ramagem para a diretoria da polícia federal. Sim, ele é amigo da família Bolsonaro e as intenções são as piores possíveis, conforme ficou amplamente conhecido após a apresentação da pressão que sofreu o então ministro Sergio Moro para trocar a diretoria da PF. Porém, objetivamente não havia nada lei que impedisse o poder discricionário do executivo de colocar Ramagem no comando da instituição.

E mais: o presidente tem meios para fazer valer sua vontade. Tanto é que ele não nomeou o amigo dos filhos, mas já empossou um subordinado de Ramagem, que hoje ocupa a diretoria da AgÊncia de Inteligência Brasileira.

A nomeação de Rolando de Souza saiu em edição extra do diário oficial da união de hoje às 10:40 da manhã e às 11:00 horas ele já foi empossado. A velocidade foi a forma encontrada para que nenhum membro do supremo intervisse.

E Souza já chegou mostrando serviço. Tratou de exonerar a superintendência da polícia federal do Rio de Janeiro, desejo antigo do presidente Jair Bolsonaro e onde correm as investigações contra os seus filhos.

E o pior de tudo. O STF abriu brecha para o debate golpista do presidente e de sua base de apoio.

Deixe um Comentário