Após recusar observadores internacionais europeus, Bolsonaro alega que solicitou a Waldemar da Costa Neto (PL) a contratação de auditoria privada para as eleições de 2022

O anúncio foi feito ontem (5) na tradicional live de quinta feira do presidente Jair Bolsonaro. Após recusar observadores internacionais europeus, Bolsonaro alega que solicitou a Waldemar da Costa Neto (PL) a contratação de auditoria privada para as eleições de 2022.

Isto é, o presidente do PL, já preso por corrupção, é mais confiável para auditar a eleição do que observadores internacionais europeus, que após pressão de Bolsonaro junto ao Itamaraty, desistiram de vir ao Brasil acompanhar o pleito de 2022.

Deixe um Comentário