Após um mês de organização e engajamento de toda a base bolsonarista, seus militantes não conseguiram encher a praça cívica de Natal

Nunca na história desse país um governo se engajou de forma tão demorada, aberta e comprometida com um movimento, com um protesto. Desde o vereador do nucleo duro bolsonarista até o presidente passaram as últimas semanas em atos, nas redes e em discursos, fazendo chamamentos para o dia de hoje. Os gabinetes foram mobilizados, braços nas igrejas também, grupos minoritários empresariais ainda fechados com o presidente gastaram sem pena. Saindo da bolha bolsonarista, com suas imagens editadas, a avaliação é unânime. O resultado foi aquém do esperado.

Em Brasília, os organizadores esperavam 150 mil pessoas e só foram 15 mil. Em São Paulo, com toda a mobilização de caravanas, prefeitos locais engajados da região, etc, apenas 120 mil, quando a expectativa era de um milhão de pessoas.

Em Natal, os organizadores foram, por um aspecto, inteligentes. Fizeram uma carreata. É um bom subterfúgio a ser utilizado para tentar movimentar a cidade e aumentar o espaço de ocupação. Porém, a praça cívica sequer foi completamente fechada de gente, quando os militantes saírem de seus quatro rodas. Pelo perfil, o 7 de setembro foi um sucesso se o analista considerar que a cidade só é composta por Lagoa Nova e Tirol.

Imagem extraída do Blog de Thaisa Galvão

Deixe um Comentário