Aras escanteado; em outros tempos, seria um escândalo

O procurador geral da república, Augusto Aras, foi escanteado da operação da polícia federal, que desarticulou o contrabando de 160 milhões de reais em carga de madeira ilegal para os EUA. O ministro do Supremo Alexandre de Moraes conduz o caso que alcançou o ministro do meio ambiente, Ricardo Salles. Ele é acusado de facilitação de contrabando, advocacia administrativa, entre outros crimes.

Aras tenta retirar o processo do ministro Alexandre, mas até agora sem sucesso. O bizarro nessa história é que a polícia federal não avisou ao MPF de operação, por temer vazamento de informação para o governo Bolsonaro. Em outros tempos, seria um escândalo.

PGR deve recorrer a Fux para tirar caso Salles de Moraes

Da CNN Brasil

A Procuradoria-Geral da República deve recorrer da decisão na qual o ministro Alexandre de Moraes, do Supremo, rejeitou pedido para deixar a relatoria da investigação que mira a cúpula do Ministério do Meio Ambiente e do Ibama. A Polícia Federal suspeita do envolvimento do ministro Ricardo Salles e de uma série de subordinados dele em esquema de contrabando ilegal de madeira.

Segundo pessoas próximas ao procurador Augusto Aras, o entendimento da PGR é o de que o pedido de mudança na relatoria deve ser analisado pelo presidente do STF, Luiz Fux.

Moraes rejeitou na última terça (25) a tentativa da PGR de tirar o caso das mãos dele. Uma operação da PF foi deflagrada na semana passada sem oitiva prévia do Ministério Público Federal.

Ministros do Supremo dizem que a PGR só teria como opção pedir a revisão da decisão de Moraes ao plenário da corte, e não a Fux.

Deixe um Comentário