Araújo pede demissão do ministério de relações exteriores mas deixa crise do executivo com o congresso

Ernesto Araújo deixou o ministério das relações exteriores. Antes, porém, enfeitou a saída com uma teoria conspiratória para cair nos braços da base bolsonarista.

Ele alegou que, em conversa com a senadora Kátia Abreu, ouviu dela que seria o rei do senado se defendesse o contrato com a 5g chinesa. A senadora negou veementemente e trouxe consigo a solidariedade dos colegas da casa, que pediram a saída do olavista.

Certamente, o ataque de Araújo foi orquestrado e jogou as redes sociais dos apoiadores de Bolsonaro mais uma vez contra congresso.

O presidente Jair Bolsonaro brinca com fogo, ao esticar a corda com o congresso. O presidente do senado, Rodrigo Pacheco, vem protegendo o presidente de uma comissão parlamentar de inquérito, para averiguar os possíveis crimes do presidente durante a pandemia.

Deixe um Comentário