Bolsonaristas: é o mundo que vocês criaram

Após a repercussão do acontecimento de que um cidadão de Portalegre (RN) amarrou um quilombola e o arrastou pelas ruas, logo veio o esperado enquadramento – tratava-se de um árduo defensor do bolsonarismo. Além disso, já com histórico de acusação de crime por injúria racial.

O bolsonarismo é uma ideologia que existe antes do presidente Jair Bolsonaro, mas que vicejava no submundo da sociedade brasileira. Com a vitória de JB, eles se agruparam e impuseram suas ideias, inclusive ao arrepio da lei e da nossa condição civilizatória. Os retrocessos vieram.

Ora, quem é que defende fazer justiça com as próprias mãos? Que bandido bom é bandido morto? Quem comemora feito maluco de auditório, gritando – CPF cancelado, CPF cancelado? Projetos políticos são materializados pelos seguidores.

Não adianta dizer que o presidente Jair Bolsonaro nada tem relação com o acontecimento, pois o caso é a perfeita realização de um discurso autorizativo de ódio cantado em verso e prosa a partir da principal cadeira política e administrativa do país.

Por exemplo: exatamente o mesmo processo se desenrolou durante a pandemia. Foi o presidente que colocou em xeque a política de enfrentamento ao coronavírus, negou a gravidade da situação, defendeu remédios ineficazes e até hoje fala que as vacinas são experimentais. Ora, quem adere a tais ideias, inclusive morrendo pelas mãos delas? Bolsonaristas.

As pesquisas já abundantes são insofismáveis. Quando o cidadão morre de amores peloo presidente, ele acredita em curas milagrosas sem base na ciência, diminui a relevância da pandemia e pode até recusar os imunizantes. Resultado: pelas pesquisas, se a pessoa for eleitora de Bolsonaro, tem maiores chances de pegar e morrer de covid do que quem estabelece distância das ideias bolsonaristas.

Portanto, bolsonaristas, assumam o que é de vocês. O que ocorreu em Portalegre é aquilo que seu líder e vocês ficam defendendo diuturnamente tornado ato.

Deixe um Comentário