Bolsonaro desautoriza Mourão e se mantém ‘neutro’ com relação à guerra

Da Isto É – A relação do presidente Jair Bolsonaro com o vice-presidente Hamilton Mourão parece não ser das mais amistosas. Durante live realizada no início da noite desta quinta-feira (24) Bolsonaro disse que apenas ele, como chefe de Estado, pode externar a posição do país a respeito da invasão russa à Ucrânia, em puxão de orelha direto a Mourão. No entanto, em nenhum momento, Bolsonaro disse o que pensa sobre a invasão russa.

Mais cedo Mourão condenou os ataques e defendeu o uso da força para conter a invasão russa. Afirmou ainda que o Brasil já se colocou contra o ataque ao defender, na Organização das Nações Unidas (ONU), os princípios de não intervenção e soberania das nações.

Bolsonaro não gostou nada das declarações do vice e disparou: “Deixar bem claro: o artigo 84 da Constituição diz que quem fala sobre esse assunto é o presidente. E o presidente chama-se Jair Messias Bolsonaro. E ponto final. Então, com todo o respeito a essa pessoa que falou isso, eu vi as imagens, falou mesmo, está falando algo que não deve, não é de competência dela, é de competência nossa”, disse Bolsonaro sem citar o nome de Mourão.

“Quando é que eu falo qualquer coisa sobre esse problema Rússia-Ucrânia? Eu falo depois de ouvir ou o ministro Carlos França, das Relações Exteriores, e o da Defesa, Braga Netto. Ponto final. Se for o caso, convido mais algum ministro. A decisão é minha, mas eu quero ouvir pessoas que realmente são ministros para tratar desses assuntos”, afirmou.

Bolsonaro ainda acrescentou que terá uma reunião com ministros para “dimensionar” os efeitos da ação militar da Rússia.

Deixe um Comentário